domingo, 19 de julho de 2009

...

Não é novidade que eu não curto muito o domingo. O problema é que não há o que se fazer no domingo. Geralmente as pessoas descansam, mas descansar não significa necessariamente ficar inerte no sofá enquanto a TV insiste em estragar qualquer boa possibilidade de algo que preste. Bom, caso fosse como domingo passado, quando houve treino com o pessoa de Londrina, a tarde de domingo seria bem aproveitada num bom cochilo. Infelizmente não foi o caso... Daí caça-se o que fazer, obviamente levando em consideração as condições materias para tanto (entenda-se a falta de grana). Mas dadas as limitações materias e sociais, as coisas permanecem na mesma, ou seja, sem ter muito o que fazer... Estudar é uma opção? Lógico! Mas o esforço para estudar no domingo é muito fora do comum! Arrumar o quarto? Outra boa opção! Afora o esforço ainda maior... No fim, resume-se em pensamentos sobre as ambições. Realmente a ambição não é algo muito forte por estas bandas... O que resta são pensamentos sobre o que seria interessante fazer num domingo vazio. Pensei que dar um de Arthur Dent seria bem interessante! De fato a única coisa que seria realmente interessante... Algumas pessoas usam o domingo para jogar RPG. Não é má idéia, mas sei lá... já foi a época que o RPG fazia muita coisa. Hoje é só mais um passatempo sem maiores atrativos (e isto não é algo depreciativo, em geral todas as coisas não têm maiores atrativos). O negócio é tão lento no domingo que até deu uma vontade passageira de reler alguns bestsellers depois de ver uma entrevista com algum comentarista de cinema.
Pelo menos descobri que o problema é a ambição, ou pelo menos a falta dela... Agora me veio um outro texto que escrevi sobre o problema da vontade sem direção. Pois é, é mais ou menos por aí. Vontade e ambição andam lado-a-lado, e em linhas gerais, uma é determinada e outra não. Daí quando falta a indeterminada as coisas para a determinada ficam meio ruins, e no fim das contas fica ruim para o dono de ambas. Até o domingo fica enfadonho...
O que resta é a pergunta fundamental. "Cadê Deus?"? Não! Esta foi fundamental em outra época. A pergunta é: o que fazer aos domingos quando se é determinado material e socialmente? Por ACDC e escrever no blog!!! Nossa, deu até uma vontade de viver agora! Putz...