sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

Me dá dois minutinhos pra entender a complexidade da situação!

"Me dá dois minutinhos pra entender a complexidade da situação!" foi A frase da manhã do dia 14/12/08. E assim aquele momento de embriaguez por parte de um, de ansiedade por parte de outro maracava, de fato, uma reviravolta significativa neste último. O embriagado afirmaria que a tal reviravolta não é nada mais do que um produto lógico-fisiológico das decisões passadas. Vontade? Pra quê? Razão? Só mais uma construção histórica! Já o senhor ansiedade afirmaria que não. Como poderia ser aquele momento um produto de algo quase pré-destinado? Onde se encontraria sua Vontade? A sua Razão já não seria capaz de poder marcar um momento de escolha deliberada sem uma determinação histórica? Ele acreditava que sim.

No fim das contas esta foi a grande discussão encaminhada pelos dois da forma mais agradável possível durante algumas semanas.

Momentos antes da partida de um deles rumo a futuras bebedeiras o consenso era o seguinte: o dono da frase supracitada acreditava, grosso modo, que a história determina as escolhas dos homens, não havendo, portanto, espaço para o livre-arbítrio; o que contemplou a frase acreditava, por sua vez, que a história não determina os homens, no máximo inclina a tomar decisões, mas no limite há possibilidade (quiçá lógica) de a Razão poder escolher entre A ou B, dando, assim, margem ao livre-arbítrio.

É óbvio que não houve consenso nas conclusões. De fato não seria tal consenso possível, ao passo que ambos não estavam dispostos a deixar suas crenças de lado somente para aceitar um bom argumento... hahhahahahahahahha

Talvez faltou-lhes uns 2 minutinhos pra entender a complexidade da situação! Não que isso não fosse algo ruim. No fim das contas rendeu boas risadas.