sexta-feira, 28 de março de 2008

Aquela noturna

E mais uma vez me encontro sem ter o que fazer num fim-de-semana à noite, hoje em específico sexta-feira. Resta o quê (tem acento naquele q ali?)? Resta escrever/digitar texto no blog! Um saco, até tinha o que digitar, mas me chamaram a atenção para fazer outra coisa, daí perdi a inspiração... O que fazer agora? Caçar idéias no fundo de alguma coisa pra não desperdiçar meu tempo... Tá, meu tempo já tá sendo desperdiçado quando eu sei que este texto nem vai ficar tão bom assim. Pensei até em começar as crônicas da BSD, mas não to com vontade. Daí o lance é deixar o blues rolar no fone de ouvido e digitar, digitar e mais um pouco... digitar. Pensei agora no uso excessivo de reticências... foda-se!!!
Quase fui pra outra cidade agora à noite, mas o universo conspirou contra: estava sem grana pra gasolina, sem o carro propriamente dito (sim, ele não me foi liberado para este fim em específico... fazer o que quando ainda se é dependente de alguém?!), e até sem um convite mais "formal". No fim das contas era só uma idéia minha, que eu acho que seria bem interessante, mas não deu certo. Fazer o quê? Escrever no blog, oras!
To pensando também como resolver um problema que nem sem por onde começar, as variantes são tantas que eu considero... Daí no fim se eu seguir um certo conselho e pensamento meu as coisas podem até ser mais simples do que se imagina. Vejamos... se bem que isto é assunto para outro momento.
Por hora me despeço, pois alguém (que não eu) precisa dormir, e a luz do pc incomoda, daí já viu... me ferrei por ser o mais novo! hahahahahahahahahahhahaha
Um dia descubro a data de nascimento de Deus!

terça-feira, 18 de março de 2008

II Carta aberta aos acadêmicos de Filosofia

Texto do ano passado, destinado aos acdêmicos da filo, que de fato não surtiu muito efeito, mas foda-se... eu o reli hj e achei engraçado o suficiente para estar aqui. Agradeço ao Marco pela ajuda do seu desenvolvimento e ao Thiago pelas sugestões.
Sem mais...

Antes houvesse uma besta-fera vinda de uma galáxia distante com uma voraz sede de sangue e nos tomasse as cabeças (ou algumas outras que não a minha) para que nós não tivéssemos que presenciar a queda e quase falência daquela que um mais próximo tem o prazer em chamar de Augusta instituição, o Centro Acadêmico de Filosofia – UEM, mais conhecido entre nós como Cafil (ou simplesmente CA para os mais chegados).

Para aqueles que não são partidários da visão mórbida da coisa, antes não houvesse o momento em que a atual diretoria tivesse assumido seu posto distribuindo igualmente prestígio aos que lhe representam. Pois é, cremos ser somente por prestígio que estes “representantes” almejaram e assumiram estes cargos, e aqueles que não procederam de tal maneira (pois pensaram haver trabalho a ser feito e que o prestígio viria conforme se trabalhasse) logo perceberam que dali nada sairia e sabiamente abandonaram seu cargo (e o suposto prestígio) para que não ficassem reconhecidos por muitos, por aqueles que realmente fizeram algo, como um infeliz que só infesta a Augusta instituição. Aaahhh! Vem-nos à memória que destes somente um houve, e hoje é bem quisto no nosso meio (entenda-se o “nosso meio” aqueles que de alguma forma contribuíram para a formação do CA, e não simplesmente fogem as suas responsabilidades) e mesmo estando fora contribui muito mais com o curso que toda a atual diretoria junta. Ai a pergunta: por que foi que eles assumiram se sabiam que nada produziriam? Ninguém os forçou a estarem lá, e eles ainda foram/eram/são livres para não aceitar os cargos tão prestigiados! Agora imagina-se a força mística que estes cargos exercem sobre aqueles que não os ocupam, pois nem mesmo durante um ano inteiro de fracasso e motivo de chacotas os atuais representantes se lhes desvencilham! E ainda mais, conseguiram “levar” um antigo membro da gestão que um algo fez, mas mesmo assim insistentemente nada fez em prol de na atualidade!

Pois é, meus caros calouros! Fiquem de olho no peixe que é vendido quando dizem que a antiga diretoria produziu menos que agora (isto só seria fato se ninguém assumisse os cargos e não criassem um CA, pois mesmo uma mosca inerte produz mais) e que nunca antes na história da Augusta instituição foi feito tanto quanto agora (óbvio lulante). Ousamos a dizer que até mesmo aqueles que conseguiram afanar certa quantia em dinheiro e se mudaram sem explicações fizeram mais que os atuaisdiretores”, e não diz-se isto meramente para fazer oposição, mas sim por que é factual, pois pensem: se conseguiram afanar alguma grana é por que angariaram fundos para tanto e isto implica necessariamente (numa necessidade quase metafísica) em ter feito algum trabalho. Óbvio, não?! Pois é, nem pra todos!

O pior de tudo além de não se ter um CA operante, sem fundos, com membros orgulhosos por serem motivo de risos e tudo de pior que a inação pode oferecer, é nós termos que dispor de tempo para fazer frente mediante uma carta aberta para alertar os recém-chegados e desmoralizar aqueles inativos que insistentemente ofendem-nos com suas existências tão pouco criativas! Ah, sem chance vai inativos, vocês sabem que nós fomos melhores enquanto diretoria e não há meios possíveis agora de que vocês se afirmem bons o suficiente para nos fazerem críticas plausíveis! E se o trabalho foi/é demasiado para cinco diretores, isto é afirmado por pura incompetência de quem ocupa os cargos. Basta olhar a história do CA (que nem é tão longa assim) e ver que muito foi realizado com apenas cinco membros ou menos até!

Ouçamos o velho Céfalo: “se é verdade que um homem bom não pode ser totalmente feliz na velhice, também riqueza alguma poderá proporcionar a paz a um homem mau”. Antes um único membro da diretoria atual tivesse o espírito necessário para mover o Cafil do que se surgissem 12 comissões com o mesmo espírito que hoje o torna uma piada (e dizer isso realmente é desagradável). Mas vá lá, trabalhem em comissões que totalizem, sei lá, 255 pessoas e afirmem suas preguiças e, sobretudo incompetência!

Seria muito mais digno se simplesmente renunciassem os “prestigiados” cargos e deixassem a diretoria da Augusta instituição de forma honesta – tá, o termo honesto aqui foi demais. Mas talvez algo de bom, além de vossas malfadadas vontades que demonstraram no início de vossa gestão, possa ser demonstrado. Algo que emerja da consciência de cada membro desta diretoria e que façam-vos acordar: “nossa, como fomos toscos! Podemos ao menos dar explicação do dinheiro da festa, passar a conta bancária para o nosso nome (visando transparência ao que deixamos de fazer) e regularizar a situação jurídica de nossa situação – quem sabe nos sentiremos melhores?”

Tá, isso foi meio que uma utopia nossa. A tosquice é tão grande que ao invés de fazerem o que é certo é perigoso esses excelentes homens e mulheres se sentirem no direito de continuar a luta pela causa do... ããã... da.... ah, sei lá, da desnutrição infantil no Afeganistão ou das plantações de canabis por pequenos índios budistas.

Agora, se ainda não é claro para os pop-members, seja pela dificuldade em ler-se o que é por colegas impresso e entregue ou por pouco hábito em aceitar críticas verbais como sérias, nós não ficaremos parados se decidirem piorar o que já está ruim. Que lembrem-se de que o Estatuto o qual esqueceram de ler é devidamente registrado, e os acadêmicos que “representam” esperam mais do que simples incursões na vida noturna maringaense com intuitos pouco claros – inclusive no que relaciona-se ao controle financeiro.
Assim faremos porque acreditamos num Cafil transparente, ativo e representativo.


Grupo “Por um Cafil de Verdade”.

tanto faz

A inconstância se faz constante...

sábado, 1 de março de 2008

Lições para uma vida pós-adolescente à maturidade

1º. Faça um curso de mecânica (da básica à avançada!!!). Seja no SESC, SENAC, SENAI, com o seu Jão da esquina que jura que entende de carro, faça!!! É realmente importante.

2º. Antes de empurrar um carro (em especial nas subidas) para fazê-lo "pegar no tranco", alongue e aqueça as pernas, evita incômodos no dia seguinte!

3º. Se bater aquela fome depois de beber algumas, não coma um "dogão" se vcê passou enorme parte da sua adolescência fazendo isso e de repente parou bruscamente. Pode ser que isso acarrete problemas ao seu intestino...

4º. Celular incomoda, mas ajuda pra caramba.

(conforme necessário acrescentarei alguns pontos)